A iniciativa contou com as presenças da presidente da Quercus, Paula Nunes da Silva, do presidente da Câmara de Sines, Nuno Mascarenhas, e do presidente da empresa Águas de Santo André, Luís Faísca.

Segundo a Quercus, "a escolha desta praia para acolher a cerimónia de hasteamento oficial da bandeira teve em consideração o trabalho realizado pelo Município de Sines na área do ambiente e da Águas de Santo André, entidade responsável pelo tratamento complexo de águas residuais provenientes da Zona Industrial e Logística de Sines, fundamental para restituir ao ambiente marinho a água tratada com a qualidade necessária à manutenção dos ecossistemas".

Distinguida com o galardão "Qualidade de Ouro" desde 2011, a praia de São Torpes é uma das quatro zonas balneares do concelho de Sines galardoadas este ano pela Quercus, "confirmando a excelente qualidade das suas águas balneares", acrescenta a associação.

A associação ambientalista Quercus destacou também o aumento das zonas balneares portuguesas que foram classificadas e vão hastear, durante a época balnear, a bandeira “Qualidade de Ouro 2021” apesar da pandemia de covid-19.

“Há mais bandeiras curiosamente. O ano passado foram 386 e este ano temos 393”, disse à agência Lusa a presidente da Direção Nacional da Quercus, Paula Nunes da Silva, referindo-se às praias que foram classificadas pela associação ambientalista com o galardão de indicação de “excelente qualidade das águas balneares”.

A dirigente falava aos jornalistas à margem da cerimónia oficial do hastear da bandeira “Qualidade de Ouro 2021” que decorreu hoje na praia de São Torpes, no concelho de Sines, distrito de Setúbal, com um “simbolismo acrescido”, do ponto de vista ambiental, devido ao encerramento da central termoelétrica de Sines.

No concelho de Sines “são quatro as praias galardoadas e escolhemos a praia de São Torpes porque no fundo tem um simbolismo acrescido do ponto de vista ambiental que foi o marco do encerramento da central termoelétrica de Sines”.

“Não deixa de ser uma central a carvão e o impacto” ambiental está relacionado “com as contaminações associadas e com a libertação dos gases com efeito de estufa”, acrescentou a responsável, considerando que “o fecho simboliza o rumo à descarbonização” para o qual é preciso “trabalhar urgentemente”.

Durante a iniciativa, a presidente da Quercus defendeu ainda “o encerramento” das restantes centrais existentes em Portugal, e “que haja tecnologia e políticas que venham ao encontro da redução dos gases com efeito de estufa e a diminuição das temperaturas”.

De acordo com os critérios definidos em 2021, explicou a Quercus, para receber a classificação de “Praia com Qualidade de Ouro” têm de ser respeitados alguns parâmetros, nomeadamente a qualidade da água “excelente” nas últimas cinco épocas balneares (de 2016 a 2020).