Os socialistas afirmam em comunicado que "desde o início de abril que a oferta de transportes públicos no nosso concelho, bem como nos concelhos vizinhos, sofreu forte redução, situação parcialmente reposta com o reinício das aulas do ensino secundário a 18 de maio".

"Certo é que ainda hoje alguns horários ficaram por repor, alguns dos quais de relevo para deslocações casa-trabalho, ao hospital, para compras e resolução de assuntos do dia-a-dia, situação que se prevê agravar com o encerramento do ano escolar".

Como exemplo, os socialistas afirmam que "o primeiro autocarro que passa por Santo André chega ao hospital pelas 8:45 horas, quando antes ocorria pelas 7:45 horas. Também o autocarro que horariamente passava no hospital, agora apenas efetua cerca de metade das viagens".

Os socialista alertam também para o facto de "em Santo André, no terminal de autocarros, não há venda de bilhetes de expresso, não cumprindo a estrutura a função que lhe foi conferida".

Neste contexto, "importa também questionar qual será a abrangência do próximo concurso de serviço público de transportes de passageiros. Irá manter a oferta agora disponível e demonstradamente inadequada" questiona o PS.

Os membros eleitos pelo Partido Socialista na Assembleia Municipal de Santiago do Cacém, solicitaram ao executivo da Câmara Municipal, que "pressione a CIMAL enquanto entidade responsável pelos transporte ditos públicos, e da qual o Presidente desta Câmara Municipal pertence ao executivo, se encontre solução junto da empresa adjudicada para a falta de transportes no nosso concelho, de forma a colmatar as necessidades e a reduzir o isolamento das nossas populações".


Comente esta notícia


SINES