O edifício foi expropriado pelo Gabinete da Área de Sines nos anos 70 e durante alguns anos serviu de habitação para os quadros do antigo GAS.

Com o fim do Gabinete da Área de Sines, a posse passou para a Autoridade Tributária.

Nas últimas décadas o edifício foi abandonado, e atualmente está em ruínas sendo utilizado apenas por alguns toxicodependentes.

Ao longo de vários anos a Câmara Municipal de Sines tem tentado que a Autoridade Tributária passe a posse do edifício para a autarquia o que até ao momento não foi aceite pela entidade proprietária.

Em declarações à Rádio Sines, Nuno Mascarenhas, presidente da Câmara Municipal de Sines afirmou que “o estado tem tido ao longo dos anos uma postura incompreensível relativamente ao Palácio Santa Isabel. Não preserva o patrimônio, mas também não tem autorizado que a câmara o possa fazer, inviabilizando sucessivamente qualquer acordo com o município. Só recentemente a câmara foi informada dessa possível intervenção”.

“O estado tem tido um comportamento absolutamente inqualificável e lesivo do interesse público, uma vez que este é um patrimônio importante para o município e que queremos recuperar, se ainda formos a tempo” lamenta o autarca.


Comente esta notícia


SINES