Dário Guerreiro, presidente da junta de freguesia explicou que “estamos perante uma situação intolerável, insustentável e inaceitável. Ao longo dos últimos anos a situação da falta de médico de família tem-se agravado, em parte devido ao aumento da população, mas também ao não preenchimento dos quadros necessários ao bom funcionamento desta unidade de saúde”.

“Temos solicitado junto das autoridades competentes a resolução desta situação, no entanto este problema ainda se agravou mais agora com a recente saída de um médico”.

“Já solicitámos aos responsáveis da Unidade Local de Saúde do Litoral Alentejano que nos indicasse o número de médicos ao serviço a tempo inteiro ou parcial, o número de utentes inscritos e ainda o número de utentes sem médico de família, mas até ao momento não obtivemos qualquer resposta, o que não compreendemos” lamenta o autarca.

Dário Guerreiro, considera inaceitável que “a população espere mais de dois meses por uma consulta” e está preocupado com facto de “a demora na passagem de receitas médicas leva a que muitos utentes tenham de comprar os medicamentos sem comparticipação, uma situação que penaliza os mais idosos e todos aqueles que vivem com dificuldades económicas”.

O centro de saúde de São Teotónio conta apenas com duas médicas a prestar serviço, uma a tempo inteiro e outra a tempo parcial, o que é manifestamente insuficiente para uma freguesia com uma população de cerca de 10.000 habitantes, entre população local e trabalhadores que estão a trabalhar nas estufas, principalmente estrangeiros.

O executivo da Junta de Freguesia exige que “as entidades responsáveis tomem medidas imediatas, de forma a dar cuidados de saúde dignos e efetivos à população da freguesia de São Teotónio”.


Comente esta notícia

Não sou medico mas isto so acontece porque o governo portugues esta doente e precisa ser tratado rapidamente, A doença e a ganância pelo dinheiro. So um povo unido sera um povo feliz.

Hermenegildo joao teresa

13/02/2020

Subscrevo na íntegra o exposto pela pretensão referida quanto á falta de Médicos na Fregiesia de São Teotónio.

Octávio Manuel Antunes de Freitas

09/02/2020


SINES