Assinatura do contrato da empreitada da nova ETAR da Comporta

O investimento de 1,9 milhões de euros, deverá estar concluído em fevereiro de 2021, e vai permitir tratar a totalidade dos efluentes urbanos dos cerca de 550 residentes na localidade da Comporta, que, durante a época alta, chega a atingir os 2.500 habitantes.

Esta instalação estará equipada com “um sistema de tratamento tecnologicamente avançado, incluindo tratamento primário, biológico e desinfeção adicional para a produção de água para reutilização e tratamento de lamas por desidratação”, visando alcançar “elevados níveis de tratamento com a menor pegada possível e contribuindo para a sustentabilidade ambiental da região em que se insere, com destaque para o ecossistema estuarino do Sado”, zona sensível e classificada como Reserva Natural, explicou o vice-presidente da Águas Públicas do Alentejo, João Silva Costa

Para fazer face ao estimado aumento da população, devido aos investimentos turísticos previstos para a zona, o projeto prevê, no futuro, a ampliação da capacidade para um máximo de 10 mil habitantes e a “utilização da água, depois de tratada, para rega dos espaços verdes”.

Para o presidente da Câmara Municipal de Alcácer do Sal, Vítor Proença, trata-se de “uma etapa muito importante” que permite avançar com um “investimento urgentíssimo que já deveria estar concluído”.

Em curso, desde novembro de 2019, está a construção do Sistema Intercetor e Tratamento de Águas Residuais da Comporta, um investimento de 830 mil euros, com um prazo de execução de 270 dias, que irá conduzir os efluentes gerados até à nova ETAR, envolvendo uma estação elevatória e 1,7 quilómetros de coletores.

A cerimónia de assinatura do contrato da empreitada de construção decorreu hoje no auditório da Junta de Freguesia da Comporta.

A construção das duas infraestruturas representa um investimento global de 2,9 milhões de euros, cofinanciado pela União Europeia através do POSEUR.


Comente esta notícia


SINES