Sessão da Assembleia Municipal de Sines

A proposta foi aprovada pela maioria do Partido Socialista, enquanto a oposição, a CDU e o Movimento SIM votaram contra.

Nuno Mascarenhas, presidente da Câmara Municipal de Sines, explicou que “a pedreira não vai crescer para o lado da escola”, que “vai ser realizado um estudo de impacto ambiental” e que “a autarquia vai fiscalizar todo o processo para não permitir que sejam causados danos nas habitações mais próximas da pedreira”.

O autarca referiu ainda que “pela primeira vez a câmara municipal vai ser compensada financeiramente pela exploração da pedreira” e que “sem a pedreira dificilmente será possível concretizar as obras que estão previstas para o Porto de Sines”.

Já os partidos da oposição e alguns habitantes mostraram-se preocupados com as “consequências da exploração da pedreira tão perto da escola e das habitações” e lamentaram “a falta de informação em relação a esta questão tão importante para a cidade de Sines”.


Comente esta notícia


SINES